Buscar

A garota Sertaneja

Esta é a história de uma garota, uma bitela de uma menina. Ela conhece tudo de roça, sabe de canto de passarinho, de arreio de cavalo, de nomes das plantas, e, o melhor, sabe muito é de moda sertaneja. Um dia um imprevisto fez com que ela fosse pro hospital João XXIII. Ficou diferente, provisoriamente. Foi assim que a conhecemos, e também a sua mãe, boa de prosa, gente boa pra receber visita! Todo dia, ela lembrava pra filha das preciosidades lá da roça. A gente ouvia e, assim, conhecia a vida dela. Estes médicos besterólogicos que vos falam, se perdiam, esqueciam da vida e do tempo naqueles “Casos” onde nossa imaginação ia, e, mais ainda, na trilha que se seguia. Pois, para puxar o fio da memória, a mãe dela puxava na voz as modas sertanejas. A garota conhecia as novas e as antigas, do tempo que ela nem tinha nascido ainda e que sua família cultivava. Das novas, tinha uma boa, era a do moço que não queria largar a botina, nem ir morar no condomínio! Mas vamos pra frente nessa história, pois senão a gente passa o dia nessas cantorias, que era quase isso que a gente fazia! Agora, escuta essa, a outra parte que começa agora: a da menina sertaneja, que voltou a cantar as modas, e voltou pra roça!


Texto: Daniela Rosa, a Dra. Rosa.

Foto: Fabiano Lana



#PraTodosVerem: Dra. Rosa e Dr. Led sorridentes. Dra. Rosa segura um violão. Fim da descrição.