Buscar

Brincadeiras geracionais


Foto: Carol Reis

Os palhaços besteirologistas fazem a visita, como de costume, lá na oncologia. Eles visitam as crianças, pacientes ou impacientes, que estão lá tomando sol no pátio. Há aquelas que já aguardam no quarto, e outras ficam em cima dos cavalos de brinquedo. Todas sabem que os médicos palhaços irão chegar naquele dia, faz parte da rotina, do procedimento. A espera termina, eles chegam! Transformam o ambiente, levam alegria e um "bucado" de caos criativo. Na postura de doutor, Dr. Mulambo deixa cair suas calças e revela a cueca de coraçãozinho mais ridícula do mundo. Dr. Rabisco faz a brincadeira da estátua com as crianças, e todas estão comprometidas a não mexer até a música tocar de novo.


E é neste momento que elas vão para a sala ao lado, ali mesmo onde os idosos estão. As crianças também querem ir, participar da brincadeira, serem médicas e médicos por um dia. E, assim, um coro de crianças junto com os médicos palhaços examinam um por um de outra geração. É uma troca, um intercâmbio intergeracional, uma doação da luz do sol que pegaram lá fora no pátio. Os doutores palhaços orquestram este encontro.